sábado, 31 de janeiro de 2009

Lisboa Moderna vista do Tejo









Fotos efectuadas num passeio de Barco pelo Tejo com vista para a bela cidade de Lisboa no dia 17 de janeiro de 2009

sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Ponte sobre o Tejo

A Ponte sobre o Tejo ou Ponte 25 de Abril é uma ponte pênsil rodo-ferroviária que liga a cidade de Lisboa à cidade de Almada, em Portugal. A ponte atravessa o estuário do rio Tejo na parte final e mais estreita – o designado gargalo do Tejo.
História
A primeira ideia sobre a construção de uma ponte que ligasse a cidade de Lisboa a Almada, situada na margem esquerda do Tejo, remonta ao ano de 1876.
Nessa altura, o engenheiro Miguel Pais sugere que a sua construção seja feita entre Lisboa e Montijo. Em 1888 , um engenheiro norte-americano, de nome Lye, propõe que a ponte seja construída entre a zona do Chiado, em Lisboa, e Almada.
No ano de 1889, dois engenheiros franceses, de nome Bartissol e Seyrig, sugerem a ligação rodoviária e ferroviária a partir da zona da Rocha Conde de Óbidos, do lado de Lisboa, e Almada. Logo no ano seguinte, surge uma nova proposta, feita por uma empresa alemã, que propunha a ligação entre a zona do Beato, do lado de Lisboa, e o Montijo. Esta ideia teve bastante aceitação por parte da opinião pública.
Já no século vinte, no ano de 1913, o governo português recebe uma sugestão para a construção de uma ponte, retomando a ligação entre a zona da Rocha Conde de Óbidos e Almada. Esta proposta é reatada, em 1921, pelo engenheiro espanhol Alfonso Peña Boeuf, chegando o seu projecto a ser discutido no Parlamento português. Decorria o ano de 1929, quando o engenheiro português António Belo solicita a concessão de uma via férrea a estabelecer sobre o Rio Tejo, a partir da zona do Beato, em Lisboa, e o Montijo.
Perante esta iniciativa, o ministro das Obras Públicas, Duarte Pacheco, acaba por nomear, no ano de 1933, uma Comissão, com o fim de analisar a proposta em causa, tendo ele próprio, apresentado, em 1934, uma proposta ao Governo, de que fazia parte, para a construção de uma ponte rodo-ferroviária sobre o Rio Tejo.
Contudo, todas estas propostas vão acabando por ser preteridas em favor das obras da ponte de Vila Franca de Xira.
Só no ano de 1953 é que o Governo português cria uma Comissão com o objectivo de estudar e apresentar soluções sobre a questão do tráfego ferroviário e rodoviário entre Lisboa e a margem sul do Rio Tejo.
Finalmente, em 1958, os governantes portugueses decidem oficialmente a construção de uma ponte. No ano seguinte, é aberto um concurso público internacional, para que sejam apresentadas propostas para a construção. Após a apresentação de quatro propostas, o que aconteceu no ano de 1960, a obra é adjudicada à empresa norte-americana United States Steel Export Company, que, já em 1935, tinha apresentado um projecto para a sua construção.
A 5 de Novembro de 1962 iniciam-se os trabalhos de construção. Menos de quatro anos após o início destes, ou seja, passados 45 meses, a ponte sobre o Tejo é inaugurada (seis meses antes do prazo previsto), cerimónia que decorreu no dia 6 de Agosto de 1966, do lado de Almada, na presença das mais altas individualidades portuguesas, das quais se destacam o Presidente da República, Almirante Américo de Deus Rodrigues Tomás, o Presidente do Governo, António de Oliveira Salazar e o Cardeal Patriarca de Lisboa, D. Manuel Gonçalves Cerejeira, passando a ser chamada, oficialmente, Ponte Salazar.
A Revolução
Logo a seguir à Revolução de 25 de Abril de 1974, o seu nome é mudado para Ponte 25 de Abril. O seu custo rondou, preço à é poca da sua construção, o valor de dois milhões e duzentos mil contos, o que corresponde, sem ajustes à inflação, a perto de 11 milhões de euros.
Ainda que projectada para suportar, em simultâneo, tráfego ferroviário e rodoviário, nesta fase só fica preparada para a passagem de veículos rodoviários. É em 1990, que o Governo português procede à elaboração de um projecto para a instalação do tráfego ferroviário, através da montagem de um novo tabuleiro, alguns metros abaixo, do tabuleiro do trânsito rodoviário, já em funcionamento. A 30 de Julho de 1999 é inaugurada este novo tipo de travessia.
As consequências resultantes desta travessia não se fizeram esperar, desde a sua entrada em funcionamento, designadamente no que se refere à explosão urbanística que surgiu na margem esquerda do Rio Tejo, de Almada a Setúbal, estimulando, igualmente, o crescimento económico e turístico do sul de Portugal, destacando-se, neste caso, a região do Algarve.
Desde o início do seu funcionamento que a circulação rodoviária é intensa, do que resultam situações de congestionamento automóvel diárias. Esclarecedores são os números referentes ao início do ano de 2006: passam na Ponte 25 de Abril sete mil carros, nos dois sentidos, na “hora de ponta” e cento e cinquenta mil, em média, por dia, o que corresponde a mais de 300 mil utilizadores diários.
Também a circulação ferroviária é intensa, correspondendo esta à passagem de 157 comboios, diariamente, nos dois sentidos, transportando estes cerca de oitenta mil passageiros dia.
Só no ano de 2007 foram transportados 22 milhões de utentes pela via ferroviária.
A grandeza e a imponência da Ponte 25 de Abril está bem expressa no facto de, à data da sua inauguração, ser a quinta maior ponte suspensa do mundo e a maior fora dos Estados Unidos da América. Passados quarenta anos, após a sua inauguração, ocupa, agora, o 66º lugar, a nível mundial.
Anualmente, em meados de Março, a ponte é cortada ao trânsito por umas horas para a realização da Meia-Maratona de Lisboa.

Características técnicas
Outros dados relevantes sobre a Ponte 25 de Abril, à data da sua inauguração:
1 012,88 metros de comprimento do vão principal
2 277,64 metros de distância de amarração a amarração
70 metros de altura do vão acima do nível da água
190,47 metros de altura das torres principais acima do nível da água (o que a torna a segunda mais alta construção de Portugal e a ponte mais alta da Europa)
58,6 centímetros de diâmetro de cada cabo principal
11 248 fios de aço com 4,87 milímetros de diâmetro, em cada cabo (o que totaliza 54,196 quilómetros de fio de aço)
79,3 metros de profundidade, abaixo do nível de água, no pilar principal, Sul
30 quilómetros de rodovias nos acessos Norte e Sul com 32 estruturas de betão armado e pré-esforçado
Estes resultados foram obtidos com a aplicação de 263 000 metros cúbicos de betão e 72 600 toneladas de aço.
Na ponte sobre o Tejo pode ouvir-se constantemente este som (59s) que corresponde à deslocação dos carros no tabuleiro.

sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

Nocturno em Alhandra


Depois de uns dias ausentes por motivo de força maior, pois estive sem pc, estou a voltar e aos poucos irei começar as minhas visitas aos vossos blogues...

Para começar aqui deixo uma foto efectuada no dia 10 de Janeiro em Alhandra depois de uma visita à excelente exposição fotográfica do amigo Fernando Rodrigues exposta em Alhandra mesmo junto ao rio Tejo.

Parabéns pelas belas imagens ali expostas.

quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

CONVITE



EXPOSIÇÃO FOTOGRAFICA DE FERNANDO RODRIGUES

"MOMENTOS"

de 10 Janeiro a 22 de Fevereiro de 2009
Galeria de Exposições Augusto Bertholo
Casa Museu Dr. Sousa Martins
Alhandra

4ª a domingo, 9:30/12:30 e 14:00/17:30



Estarei lá no dia 10 de Janeiro da parte da tarde... quem quiser aparecer será bem vindo e ainda leva com uns clikes em cima :-)

Apareçam que este amigo tem fotos fantásticas, é uma exposição que vale a pena ser vista e revista.

segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

Ano novo... Vida nova


A todos os amigos e leitores deste Blog , desejo um bom Ano de 2009
e que a todos traga tudo o que desejaram e tudo o que sonharam.
Felicidades para o novo ano e bons voos :-)

Vitiligo

Photobucket

Deixo aqui um texto enviado de uma amiga que gostaria que lessem e até passarem para outros amigos que possam ter este problema.

Aqui vai o texto:

Numa troca de e-mails surgiu a ideia de criar um local onde os portadores desta doença pudessem trocar testemunhos e experiências. Começaremos pelos nossos testemunhos, pois não temos problemas em assumir, embora seja uma doença que afecte psicologiamente as pessoas. Ela não tem qualquer outro efeito nocivo para além desse.

Penso que todos conseguem perceber o porquê de afectar psicologicamente. Numa Sociedade em que a beleza é Imperatriz, ter a pele cheia de manchas brancas não é agradável.

Ajudem a divulgar e partilhem este blog com quem tem o mesmo problema :) http://vitiligo-derma.blogspot.com/ Espero que esta iniciativa junte pessoas e as faça encontrar mais apoio para não se sentirem sós e desamparadas.

Obrigada a todos e um abraço!

Sandra Marques

BENEFÍCIOS FISCAIS - JUSTIÇA SOCIAL

Blog - Reposição dos Benefícios Fiscais

Eu Nuno de Sousa, tenho uma prima de nome Márcia com 11 anos que ficou deficiente num acidente de viação em que a sua mãe (minha prima faleceu nesse mesmo acidente, já no ano anterior a este acidente o seu pai tinha sido atropelado, neste momento é um ser quase vegetal, dependendo dos seus pais para sobreviver, embora tenho feito alguns progressos). Neste momento a Marcia está numa numa escola especial, mais propriamente na escola C.E.C.D - Centro de Educação para o Cidadão Deficiente, situada em Mira-Sintra (Sintra), onde poderia ficar para toda a sua vida, só que agora tudo se inverteu e como os apoios que o estado dava vão acabar, a escola vai ter de fechar por falta de apoio, ou seja centenas destas crianças vão ficar sem apoio quer na educação quer a nivel de subsistência e ajuda na sua vida futura, onde vão ter de sair desta escola para serem integradas numa qualquer escola normal onde nem professores nem as próprias escolas têm condições para as integrar nas melhores condições, a minha prima nem o seu nome sabe escrever, pergunto o que vai ser destas crianças, será isto a que chamamos uma país em vias de desenvolvimento? Ou será que é só um país para alguns?
É uma vergonha o que está a acontecer neste Portugal dos nossos dias, a estas pessoas que nada podem fazer e que ainda por cima são abandonadas por quem devia olhar por elas.
Grandes governantes nós temos.
Tenho vergonha.

Peço desculpa pelo meu desabafo.
Nuno de Sousa

Amigos, não custa nada. Dois ou três segundos.

-O Governo quer retirar benefícios fiscais às pessoas com deficiência.Assine e divulgue a petição do Movimento de Trabalhadores com Deficiência contra esta medida do governo. É só clicar aqui http://www.petitiononline.com/mtpd/petition.html

Passe a mensagem à sua lista de e-mails por favor.

ObrigadoMais informação em:

http://mtpd.blogspot.com/

http://opaisdoburro.blogspot.com/